Um fio que viaja : parcerias e itinerâncias

Além das atividades na Praça Lupicínio Rodrigues, em Porto Alegre, a rede que sustenta esse trabalho tem produzido intercâmbios e encontros das toalhas locais com outros grupos de bordadores do estado e do país, em diferentes contextos:

1) Bagé e Júlio de Castilhos, RS( janeiro de 2014), com Eliane Bruél

2) Seminário O Sentido do Público na Arte  – MAC- Niterói(2014), com Ana Laura López da la Torre

3)Projeto Arte na Espera (Thereza Portes-Instituto Undió / Laboratório Janela da escuta-Ambulatório São Vicente de Paula – Hospital de Clínicas da UFMG- setembro de 2014)

4) Mulheres do Quilombo de Mangueira ( Instituto Undió / Quilombo de Mangueira /, no contexto da Semana de Ciência, Arte e Política promovida pela PUC Minas- Unidade São Gabriel – setembro de 2014)

5)Pracinha de Juatama (CE), no contexto da Residência Artística Como Rasurar a Paisagem (Itaú Cultural Rumos- janeiro / julho 2015) , com Ana Flávia Baldisserotto.

6)Festa da Primavera do Chalé da Cultura  do Grupo Hospitalar Conceição/ Grupo Mil Artes (setembro de 2016), com o coletivo A Carroça e apoio do NUPPEC (Núcleo de Estudos em Psicanálise Educação e Cultura da UFRGS)

7)Bordado Coletivo nas “108 horas de Paz” promovidas pelo Centro de Estudos Budistas Boditsava ( janeiro 2017), com o coletivo A Carroça.