As Festas

A preparação e comemoração da Festa constituem o segundo tempo do projeto. O impulso, aqui, é  gerar uma reunião festiva na própria praça, em torno da toalha. A Festa, como categoria antropológica, é momento de expressão coletiva da alegria e do prazer, de suspensão momentânea de papéis e estruturas sociais do cotidiano, abrindo espaço para o desvio, para a brincadeira e  para a liberação de impulsos criativos. No caso deste projeto, a festa é também o momento de apreciação estética do trabalho, é quando vizinhos, amigos e parentes são convidados a chegar mais perto e conhecer a produção do coletivo bordante. Comidas e bebidas, decoração, convites, tudo é gerado  de forma auto-organizativa, pela lógica do improviso. Esta etapa também convida a um maior envolvimento comunitário através da associação com outros grupos, artistas e agentes ativos no território tornando as festas especialmente importantes como celebração da união na diversidade, do respeito à singularidade pelo diálogo. A toalha encarna esses  sentidos que ao tornar-se a base sobre a qual são compartilhados os alimentos nos dias de festa.